Grande sucesso da literatura em breve na tela da Globo

“Orgulho e Paixão” universo da escritora inglesa Jane Austen mostrará a força do amor que une vidas opostas

Em uma sociedade onde o casamento é visto como o único futuro possível para uma jovem de boa família, Ofélia Benedito (Vera Holtz) tem muitos motivos para se preocupar. Na verdade, cinco: Elisabeta (Nathalia Dill), Mariana (Chandelly Braz), Jane (Pamela Tomé), Cecília (Anaju Dorigon), e Lídia (Bruna Griphão) / João Miguel Jr-RG

Inspirado em mais um grande clássico da literatura mundial, “Orgulho e Paixão” é uma das próximas apostas da Globo, que substituirá “Tempo de Amar”. Como já é costume, o horário das seis da tarde é dedicado às novelas de época e “Orgulho e Paixão” não vai fugir à regra.

“Orgulho e Paixão”, que tem seus personagens livremente inspirados no universo da escritora inglesa Jane Austen, é uma história romântica e bem-humorada, que se passa no fictício Vale do Café, no início do Século XX. No vilarejo voltado para o plantio e a comercialização do “Ouro Verde”, vivem as famílias ricas, donas das fazendas de café, os trabalhadores e aqueles que lutam para não perder tudo que têm. A história vai mostrar questões relacionadas aos costumes da época, como o valor do casamento na sociedade, feminismo e crise financeira. A partir destes temas, também irá trazer o telespectador para discussões da atualidade. “Mesmo sendo uma trama de época, ‘Orgulho e Paixão’ apresenta um texto dinâmico, com muita leveza e frescor”, define o diretor artístico Fred Mayrink. “A novela terá emoção, drama e comédia, sempre permeados pelo clima romântico que envolve a trama como um todo”, complementa o autor Marcos Bernstein.

O casal Ofélia (Vera Holtz) e Felisberto Benedito (Tato Gabus Mendes) são pais de cinco filhas e Ofélia fará de tudo para conseguir bons casamentos, que garantam o futuro para todas elas / João Miguel Jr-RG

Em uma sociedade onde o casamento é visto como o único futuro possível para uma jovem de boa família, Ofélia Benedito (Vera Holtz) tem muitos motivos para se preocupar. Na verdade, cinco: Elisabeta (Nathalia Dill), Mariana (Chandelly Braz), Jane (Pamela Tomé), Cecília (Anaju Dorigon), e Lídia (Bruna Griphão). A matriarca da família Benedito criou as filhas apostando todas as fichas no matrimônio como projeto de vida para cada uma. Apesar da reprovação do marido, Felisberto Benedito (Tato Gabus Mendes), ela é capaz de fazer malabarismos e trapalhadas na busca de um bom partido para suas donzelas. Quem não se encaixa nos padrões impostos pela mãe é Elisabeta. A jovem libertária e cheia de sonhos tem uma ousadia natural em sua personalidade, que pode encantar ou afastar um possível pretendente. Tal comportamento é totalmente desaprovado por Ema Cavalcante (Agatha Moreira), que apesar de ser bem diferente de Elisabeta, é sua melhor amiga. Moça de família tradicional, Ema é neta do Barão de Ouro Verde (Ary Fontoura), e casamenteira oficial do fictício Vale do Café, vilarejo no interior de São Paulo.

Ema Cavalcante (Agatha Moreira) é moça de família tradicional, neta do Barão de Ouro Verde (Ary Fontoura), e casamenteira oficial do fictício Vale do Café / João Miguel Jr-RG

Desejando conquistar o mundo, Elisabeta entra em conflito consigo mesma ao conhecer Darcy (Thiago Lacerda), um homem de caráter admirável e com posição social totalmente oposta à sua. Rico e aristocrata, ele desperta nela uma paixão arrebatadora, que a faz temer seu próprio destino, já que não se imagina casada, como todas as mulheres de sua época. Darcy, por sua vez, se vê desafiado por uma camponesa e sua forte presença, que o faz questionar seus preceitos tradicionalistas. O curso do relacionamento de Elizabeta e Darcy poderá ser decidido quando ele superar seu orgulho e ela se deixar levar pela paixão.

Desejando conquistar o mundo, Elisabeta (Nathalia Dill) entra em conflito consigo mesma ao conhecer o rico Darcy (Thiago Lacerda), um homem de caráter admirável e com posição social totalmente oposta à sua / João Miguel Jr-RG

Para apresentar ao público esse universo dos antigos casarões das fazendas de café do início do Século XX, locações em Vassouras e Valença, no interior do Rio de Janeiro, foram escolhidas como cenário para o início das gravações da novela. Os trabalhos começaram no início de dezembro, em Vassouras. As cenas dos primeiros capítulos e o grande baile oferecido pela neta do Barão de Ouro Verde marcaram esta primeira etapa. Encerrada a etapa de Vassouras, elenco, direção e equipe seguiram para a região de Valença, onde os trabalhos continuaram até o final do mês. Lá foram gravadas as cenas dos jardins da fazenda da Família Bittencourt. Nesta fase das gravações foram gravadas cenas do grande Sarau, evento que marcará o início da trama.

Quem não se encaixa nos padrões impostos pela mãe é Elisabeta (Nathalia Dill). A jovem libertária e cheia de sonhos tem uma ousadia natural em sua personalidade, que pode encantar ou afastar um possível pretendente / João Miguel Jr-RG

Na segunda etapa de gravações, iniciada no início deste ano toda a equipe da novela partiu rumo às cidades de Mariana, Carrancas e Lavras, em Minas Gerais. Os cafezais, ferrovias, e cachoeiras dessas regiões terão grande destaque na trama. Agora estão sendo gravadas nos Estúdios Globo cenas na cidade cenográfica e estúdio.

A novela promete! Agora é só esperar a estreia que deve acontecer ainda no primeiro semestre.

Leia Também

Delegado duvidoso

Na supersérie “Onde Nascem os Fortes”, Enrique Diaz aparecerá interpretando Plínio, um delegado de caráter …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *