Justiça Eleitoral nega pedido do MP de prender Garotinho

Garotinho foi preso em 16 de novembro do ano passado e chegou a ser levado para Bangu. No mesmo mês conseguiu ser transferido para prisão domiciliar e posteriormente o TSE revogou sua prisão, por meio de um habeas corpus. Foto: Divulgação

A Justiça Eleitoral negou nesta segunda-feira (5) o pedido de prisão do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho. O juiz Glaucenir Silva de Oliveira, da 129ª Zona Eleitoral de Campos dos Goytacazes, norte fluminense, disse na decisão que não há fundamento para decreto da prisão. O juiz ressaltou, porém, que,” por suas palavras e suas manifestações, o réu poderá ser acionado na Justiça por quem se sentir ofendido, possibilitando inclusive instauração de ação penal”.

O pedido de prisão foi feito na última sexta-feira (2) pelo Ministério Público do Rio, com a alegação de que o ex-governador usava o blog pessoal para coagir testemunhas da Operação Chequinho, que investiga um suposto esquema de compra de votos em Campos dos Goytacazes, reduto eleitoral de Garotinho.

Para o advogado Fernando Fernandes, que defende o ex-governador Garotinho, afirmou que o promotor “está desafiando o Tribunal Superior Eleitoral”. Segundo ele, as razões que embasam o pedido “são uma afronta à decisão do TSE que deu liberdade de manifestação ao ex-governador”.

Leia Também

Arrecadação de Macaé dispara e a falta de material também

Funcionários revelam que fazem “vaquinha” para comprar papel higiênico O primeiro semestre ainda nem terminou …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *