Laudo vai determinar se turista catarinense sofreu violência sexual em Arraial

O Portal dos Procurados do Disque-Denúncia divulgou nesta quinta-feira (22) cartaz com o título Quem Matou? para ajudar a 132ª delegacia policial, de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, com informações que possam levar à identificação e à prisão dos envolvidos, na morte da turista catarinense Fabiane Fernandes, de 32 anos. A vítima tinha um filho de 8 anos e morava com a família no Bairro dos Ingleses, em Florianópolis, onde era administradora de uma pousada.

O delegado titular da delegacia de Arraial do Cabo, Renato Mariano, disse que seis testemunhas já foram ouvidas e as equipes aguardam o resultado do laudo do Instituto Médico Legal (IML), que vai apontar se a Fabiane sofreu algum tipo de violência sexual.

De acordo com familiares da vítima, ela viajou para Cabo Frio junto com um companheiro. No domingo (18), saiu para fazer a trilha do Morro da Cabocla, na Prainha, deixando o parceiro no hotel. O delegado disse que este homem que veio de Florianópolis com a vítima está ajudando nas investigações e não se tem, até agora, nenhum indício de que ele esteja envolvido no crime. Por medida de segurança e para não atrapalhar o andamento das investigações, a identidade do homem está sendo mantida em sigilo.

A causa da morte de Fabiane deverá ser conhecida dentro de 30 dias. De acordo com a Polícia Civil, este é o prazo necessário para que sejam feitos os exames cadavéricos e para que seja produzido o laudo final. Através da assessoria de imprensa, a Polícia Civil carioca afirma que será necessário um exame de DNA, que, dependendo do estado do corpo, pode ser demorado.

Em visita ao Rio de Janeiro, Fabiane estava desaparecida havia três dias, depois de sair do hotel para fazer a trilha. Na tarde desta quarta-feira (21), o corpo da catarinense foi encontrado numa trilha no canto direito da Prainha. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima estava nua no meio da vegetação e teve todos os pertences deixados ao lado do corpo, inclusive o telefone celular e a carteira de dinheiro vazia.

Quem tiver qualquer informação que possa esclarecer o crime e levar aos envolvidos, deve denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pela mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular. (Com ABr)

Leia Também

Compra de remédios pela prefeitura de Araruama vira caso de polícia

A secretaria de Saúde, a Prefeitura e a Câmara de Vereadores precisam esclarecer algumas dúvidas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *