MP denuncia de novo ex-prefeito de Silva Jardim

Wanderson Gimenes é acusado de associação criminosa e fraude em licitações

Quanto mais o Ministério Público investiga, mais crimes são acrescidos à ficha penal de Wanderson Gimenes Alexandre, ex-prefeito de Silva Jardim.

Ele foi denunciado nesta segunda-feira (18) pelos crimes de associação criminosa, fraude a licitações e crimes de responsabilidades ocorridos no exercício de 2013.

Pelos mesmos crimes, cometidos supostamente em 2017, Wanderson foi preso 30 de novembro do ano passado juntamente com Roni Luiz Pereira, _ presidente da Câmara de Vereadores -, Claudio Renato Rocha da Silva – chefe de Gabinete de Wanderson – e Jorge Luiz Araújo, ex-integrante da comissão de licitação.

Segundo MP, em 2013, Wanderson encabeçou uma quadrilha integrada por servidores municipais e empresários para favorecer duas empresas por meio de fraudes em licitação. O objetivo era favorecer a Ala Editora e Promoções LTDA e a R. M. Nogueira em contratos voltados para a prestação de serviços de publicidade e atos oficiais da prefeitura de Silva Jardim.

O crime de associação criminosa (art. 288, caput, do Código Penal) tem pena prevista de um a três anos de reclusão. No caso da fraude a licitações (art. 90 da Lei n° 8.666/93), crime no qual é denunciado duas vezes, Wanderson pode ser condenado de dois a quatro anos, mais multa. No crime de responsabilidade (art.1º, I, do Decreto-lei nº 201/67), o ex-prefeito é denunciado 12 vezes, pela apropriação de bens ou rendas públicas, ou desvio dos mesmos em proveito próprio ou alheio. Neste caso, a condenação prevista é de dois a 12 anos de reclusão, mais a perda de cargo e inabilitação, pelo prazo de cinco anos, para exercício de cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação, sem prejuízo da reparação civil do dano causado.

Wanderson terá que ressarcir o Município cerca de R$ 300 mil.

Por causa de sua prisão, Wanderson não pode tomar posse no cargo de deputado estadual.

A denúncia é assinada pelos promotores de Justiça Marcelo Maurício Barbosa Arsenio, Eduardo Fonseca Passos de Pinho, Diego Abreu dos S. Flores da Silva e Tatiana Kaziris.

Leia Também

Silva Jardim vai dobrar gastos com transporte escolar

Custo global estimado é de mais de R$ 4,3 milhões, bem mais do que municípios …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *