Natureza tem proteção ampliada no interior fluminense

Decreto presidencial triplica a área da Reserva Biológica União

Formada por uma vasta área de terra que pertenceu ao pai do presidente Washington Luis, Joaquim Luiz Pereira de Souza, a Reserva Biológica União – que envolve parte de Casimiro de Abreu, Rio das Ostras e Macaé – tornou-se ainda maior, passando dos atuais 2.548 hectares para 7.767 hectares. Decreto nesse sentido foi assinado pelo presidente Michel Temer, garantindo ainda mais proteção para a Mata Atlântica, que é predominante na região. Além disso, os três municípios inseridos na área podem pleitear aumento no repasse do ICMS Ecológico junto ao governo estadual, ampliando a arrecadação.

A triplicação da reserva foi recebida com entusiasmo pelos ambientalistas da região. Para o secretário do Meio Ambiente de Rio das Ostras, Ivan Noé, a medida é positivo, pois preserva ainda mais a natureza. “Atualmente, as prefeituras estão mais preocupadas com a preservação de suas florestas e medidas ambientais estão sendo tomadas pelos prefeitos e secretários de Ambiente em busca de mais recursos vindos de fontes como o ICMS Verde”, disse o secretários.

Se as leis de preservação fossem mais severas no passado, a área a ser protegida seria ainda mais rica em termos de fauna e flora. É que em 1939 a família de Washington Luis vendeu a então Fazenda União para a ferrovia inglesa Leopoldina Railway Company Limited, que a comprou para garantir o abastecimento de lenha para a suas locomotivas movidas a vapor. Só depois de muito devastar é que a empresa começou a reflorestar, fazendo o plantio de eucaliptos, que, anos mais tardes, com a introdução das locomotivas com motor alimentado por óleo diesel, passaram a ser usados na fabricação de dormentes pela Rede Ferroviária Federal, estatal criada em 1957 para assumir os ramais antes explorados pela companhia inglesa.

Além de conservar florestas da Mata Atlântica, a reserva conta com uma grande população mico-leão-dourado e outros primatas, bem como espécies da fauna ameaçadas de extinção, entre elas a preguiça-de-coleira (Bradypus torquatus), a jaguatirica (Leopardus pardalis) e a lontra (Lutra sp). Também há uma grande variedade de peixes, répteis, anfíbios, insetos e 225 espécies de aves, sendo cinco ameaçadas de extinção.

Leia Também

LICITAÇÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA DE SILVA JARDIM SERÁ INVESTIGADA

Prefeitura anunciou uma empresa, fez contrato com outra e concorrente entrou com recurso O misterioso …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *