“Sai de Baixo” vai da telinha para a telona

Humorístico que faz sucesso até hoje vira filme e promete sacudir a bilheteria dos cinemas em fevereiro

Elenco principal de “Sai de Baixo – O Filme”, o longa que vai reviver as aventuras da cômica família do Largo do Arouche” / Mariana Vianna

A atração estreou em 31 de março de 1996 e teve seu último episódio exibido em 31 de março de 2002, exatamente seis anos após sua estreia. “Sai de Baixo” fez história! Os episódios eram gravados ao vivo, em um teatro com plateia, e levavam ao público a comédia de improviso alegrando o final das noites de domingo dos brasileiros.
Dezessete anos se passaram desde que o último episódio foi ao ar pela tela da Globo, mas valeu esperar. É que no dia 21 de fevereiro deve estrear nos cinemas de todo o Brasil o longa “Sai de Baixo – O Filme”.

A basear-se pelo trailer já divulgado nas mídias online, junto com o primeiro pôster oficial, pode-se dizer que vai ser mais um sucesso do cinema nacional. Inspirado na série que atualmente é reprisada nas tardes de sábado da Globo, o filme é dirigido por Cris D’Amato, a mesma que dirigiu “S.O.S. – Mulheres ao Mar” e, “É Fada!” e é uma produção de Daniel Filho (idealizador da sitcom).

Os icônicos personagens Caco Antibes (Miguel Falabella), Magda (Marisa Orth) e Ribamar (Tom Cavalcante) estão novamente juntos. Aracy Balabanian, sucesso como Cassandra, e Luis Gustavo como Vavá também estão presentes no filme, que conta ainda com novos personagens que vão aumentar à bagunça. Caquinho, filho de Caco e Magda que nasceu na temporada de 1999, já estará um jovem adulto, interpretado por Rafael Canedo. Também estão no elenco nomes como Lúcio Mauro Filho, Katiuscia Canoro e Castrinho.
As diaristas, que sempre fizeram sucesso no seriado, não ficaram de fora. No longa-metragem, o destaque é a atriz Cacau Protásio, como Cibalena, trazendo mais uma vez o espírito mal humorado e confrontador das quatro personagens anteriores.

A família mais desiquilibrada e trambiqueira da televisão brasileira está de volta em “Sai de Baixo – O Filme”. Além de Cassandra (Aracy Balabanian), Magda (Marisa Orth) e Caco Antibes (Miguel Falabella) também está no elenco Caquinho, que “nasceu” na temporada de 1999 e agora é um jovem adulto, interpretado por Rafael Canedo / Mariana Vianna

O improviso, uma das marcas registradas da série, assim como as brincadeiras de duplo sentido, continuam na telona. “O filme é tão inconsequente quanto o seriado. A única emoção é fazer rir, é uma verdadeira chanchada”, diz Daniel Filho.
Originalmente o sitcom teve 244 episódios. Além da atual exibição na Globo, a série também é reprisada no canal e no Viva e pode ser conferida na Globoplay.
O roteiro do filme é de Miguel Falabella, com produção da Lereby, em coprodução da Globo Filmes e distribuição pela Imagem Filmes.

As emoções de “Sai de Baixo – O Filme” começam com a volta ao Largo do Arouche de Caco Antibes (Miguel Falabella) após uma longa temporada na prisão. Chegando ao antigo lar, Caco descobre que todos estão mais falidos do que nunca. A família foi despejada do apartamento e, como se não bastasse, está morando de favor com o porteiro Ribamar. Como algumas coisas nunca mudam, não demorou muito até Caco meter a família inteira em uma nova roubada. Ao lado de Magda, Ribamar, Vavá, Cassandra e Cibalena, o trambique dessa vez será a nível internacional e ninguém vai querer ficar de fora desse esquema.
Com certeza vai ser um filme que vai agradar os fãs da série global que esperavam as noites de domingo para conferir uma nova aventura de Caco Antibes e companhia.

Pôster oficial de “Sai de Baixo – O Filme”, lançado recentemente para divulgar o longa que deve estrear no dia 21 de fevereiro / Divulgação

Em meados dos anos 90, a televisão estava precisando se reinventar e as noites de domingo da Globo precisava de uma alavancada na audiência, foi quando o ator Luis Gustavo apresentou ao diretor Daniel Filho o projeto de um programa de televisão um programa de televisão gravado ao vivo em um teatro, com plateia. A atração deveria incorporar todos os imprevistos e improvisos que podem ocorrer na encenação de uma peça, assim como aconteciam em programas de quando a TV era feita ao vivo. A estrutura seria a de um sitcom, estrelado pelos integrantes de uma família de classe média paulistana, sua empregada doméstica e o porteiro do prédio. Daniel Filho, que trabalhava como produtor independente na época, conta que chegou a oferecer o projeto ao SBT, mas a proposta foi recusada. Para sorte dos fãs, a Globo acreditou na ideia e, em 1996, o “Sai de Baixo” iniciou sua trajetória de sucesso.

Os episódios do “Sai de Baixo” eram recheados de situações cômicas vividas pelos personagens principais e, eventualmente, por alguns personagens secundários, também interpretados pelo elenco do programa. No mesmo episódio, Miguel Falabella podia viver Caco Antibes e sua mãe, a espalhafatosa Dona Caca, por exemplo.
As gravações de todos os episódios do sitcom eram realizadas em São Paulo, no Teatro Procópio Ferreira, para uma plateia de 700 pessoas. O cenário era simples: a sala de um apartamento em um edifício localizado no Largo do Arouche, na capital paulista. O maestro Caçulinha tocava vinhetas instrumentais ao vivo durante os episódios.
Se seguir o padrão da série, com certeza, “Sai de Baixo – O Filme” será um campeão de bilheteria.

Leia Também

Cuidado com as dietas mirabolantes

Quando o assunto é perder peso, recorra ao nutricionista  Muitas vezes não dá para falar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *