“Show de Calouros” marcou uma geração

O programa comandado por Silvio Santos no final das noites de domingo por muitos anos foi uma das atrações preferidas de muitos brasileiros

Silvio Santos, com os jurados do “Show de Calouros” Pedro de Lara, Décio Picchinni, Sônia Lima e Leão Lobo / Arquivo GB Imagem

Por quase 25 anos ininterruptos, Silvio Santos apresentou nos finais das noites de domingo o famoso “Show de Calouros”, um de seus programas de maior sucesso e que mais nostalgia traz aos brasileiros que acompanham a carreira do dono do SBT.

O “Show de Calouros” seguia o modelo básico de programas semelhantes que já faziam grande sucesso no rádio e marcaram profundamente a formação artística de Silvio Santos: vários candidatos a artistas (principalmente cantores) se apresentavam para uma bancada de jurados. No início, o júri era formado principalmente por especialistas, como o maestro José “Zé” Fernandes, a cantora romântica Cláudia Barroso e o compositor Alfredo Borba. Zé Fernandes ficou famoso por reprovar (com a nota zero) quase todos os candidatos que por ali passaram. Outro jurado sério era o jornalista Décio Piccinini, ainda que não tão rigoroso quanto Fernandes. A cantora Aracy de Almeida, sempre de mau humor e no controle da campainha que dispensava implacavelmente os maus cantores, tornou-se a sucessora de Zé Fernandes como a figura má do júri. Mais tarde, começaram a participar outros nomes que ficaram na mente do telespectador, como Pedro de Lara, o humorista Manuel da Nóbrega, a comediante Consuelo Leandro, a vedete Wilza Carla, Cinira Arruda entre outros.

Para dar um ar sério à atração, Silvio Santos se mostrava rigoroso, chamando os produtores ao palco para dar broncas. As vítimas favoritas era “um tal” de Carlinhos e o seu chefe, Valentino Guzzo. Carlinhos era bem forte e tinha a função de empurrar os calouros para o palco, quando Silvio Santos os chamava pelo nome. Quando um deles quase caiu, Silvio irritado chamou Carlinhos para lhe dar uma bronca. Depois foi a vez de Valentino, que tinha vindo da TV Bandeirantes. Valentino era nervoso e não gostava de aparecer na tela, mas seu constrangimento causava gargalhadas na plateia, fazendo com que Santos o chamasse cada vez mais. Valentino resolveu assumir a palhaçada, e acabou se tornando a Vovó Mafalda. Quando iniciou o SBT (TVS), em 1981, Silvio Santos aumentou o número de cadeiras do júri, preenchendo a maioria delas com artistas da casa. Assim tornaram-se jurados a atriz Sônia Lima, o apresentador infantil Sérgio Mallandro, a bailarina Flor, o repórter Wagner Montes, o jornalista Nelson Rubens, o apresentador Luis Ricardo, o repórter Jacinto Figueira Júnior, o ator Jorge Lafond, as apresentadoras infantis Eliana e Mara Maravilha, Condessa Giovanna, Vovó Mafalda, Sônia Abrão, entre outros.

Nos anos 80 ganharam destaque os concursos de transformistas, as garotas que dançavam, os cantores mirins e o “vale-tudo”. Também fazia sucesso os quadros “Isto é Incrível”, “Show do Gongo” e as piadas de Ary Toledo.

Com o falecimento de Chacrinha, que era contratado da Globo, alguns jurados remanescentes de seu programa foram contratados por Silvio Santos, entre eles a atriz Elke Maravilha.

O programa saiu do ar em 1992, tornando-se o “Show de Variedades”, mais tarde, em 1993 passa-se a chamar “Novo Show de Calouros”.

Leia Também

“Roque Santeiro”, uma novela que vale a pena ver de novo

“Roque Santeiro” é considerada uma das grandes obras de Dias Gomes. Os personagens de Lima …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *