Bolsonaro e Claudio Castro participam de inaugurações no estado

Com a presença do presidente Jair Bolsonaro foi lançada nesta segunda (13) a pedra fundamental da usina termelétrica Gás Natural Açu (GNA) ll, no Porto do Açu, em São João da Barra, no norte fluminense. A usina tem previsão de início de operação comercial em janeiro de 2025.Assim como a usina GNA I, que já opera, o novo projeto também será composto por três turbinas a gás e uma a vapor. O empreendimento, que possui um contrato para fornecer energia por 25 anos, tem capacidade instalada de 1,6 gigawatt (GW).

A usina, segundo o governo federal, será a maior e mais eficiente usina a gás natural do país e vai gerar energia suficiente para abastecer 8 milhões de residências.

Durante a visita ao Rio, também foram anunciadas melhorias no acesso rodoviário ao Açu e a construção de uma ferrovia privada, que vai conectar o Porto do Açu à malha ferroviária nacional.

A expectativa é que a obra viabilize a criação de uma nova rota para a exportação da produção agrícola do país e o escoamento de gás natural para o interior. Serão investidos cerca de R$ 6 bilhões nos três empreendimentos que devem gerar mais de 70 mil empregos diretos e indiretos nos próximos cinco anos.

Além do governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), também acompanharam o presidente os ministros João Roma (Cidadania) Bento Albuquerque (Minas e Energia), Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura) e Flávia Arruda (Secretaria de Governo).

Polo GasLub inicia testes operacionais

Tambem nesta segunda-feira, começaram os testes operacionais do Polo GasLub, em Itaboraí. A ação representa o começo do recebimento de gás natural, etapa importante para a entrada em operação da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN), ainda este ano.

A cerimônia contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro. Participaram também o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, os ministros de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, da Cidadania, João Roma, de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, além do prefeito de Itaboraí, Marcelo Delaroli.

Maior produtor nacional de gás natural com mais de 88 milhões de metros cúbicos de participação diária, o Estado do Rio de Janeiro deve receber investimentos que giram em torno de R$ 15 bilhões e gerar mais de 10 mil empregos diretos e indiretos.

– Gerar energia é a nossa vocação natural. O Rio de Janeiro é responsável por 63% da produção de gás natural do país e a parceria com a Petrobras no GasLub permitirá a implantação de um polo industrial atraente em Itaboraí, incentivando o desenvolvimento de uma cadeia produtiva de materiais e equipamentos do setor. Seguimos trabalhando para consolidar o estado como principal hub energético do Brasil e garantir uma economia mais sustentável, com geração de emprego e renda para a população fluminense – afirmou o governador Cláudio Castro.

– Parabenizo todos que trabalham na Petrobras pela dedicação e empenho a um dos principais símbolos do nosso país – disse o presidente Bolsonaro.

De acordo com a Petrobras, o Polo GasLub contará com o gasoduto de escoamento do pré-sal Rota 3 e a Unidade de Processamento de Gás Natural. A operação está prevista para o primeiro trimestre de 2022.

O projeto contempla a construção de uma Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) – com capacidade de processar até 21 milhões de m³ por dia – e a construção de um gasoduto de 355 km de extensão interligando as unidades de produção do pré-sal até a UPGN, sendo 307 km de trecho marítimo e 48 km de trecho terrestre, além do sistema de utilidades.

Início dos testes

Com o início dos testes, o Polo GasLub passou a receber gás natural não processado (gás rico), proveniente do Terminal de Cabiúnas. Quando a UPGN estiver em operação, além do gás do pré-sal da Bacia de Santos, receberá gás também dos demais ativos que utilizam o Sistema Integrado de Escoamento (SIE), via Projeto Integrado Rota 3 (PIR3).

Já estão funcionando a estação de tratamento de água, as subestações responsáveis pela distribuição da energia elétrica para o empreendimento, o Centro Integrado de Controle (CIC), os sistemas de utilidades auxiliares e o flare, local em que ocorre a queima de hidrocarbonetos para alívio.

– Mais que um conjunto de instalações e de unidades de processamento, estamos tratando de um projeto multipropósito de grande valor estratégico para o Brasil, que contribuirá para uma maior segurança energética nacional. O empreendimento vai gerar milhares de postos de empregos, impostos e tributos para a região de Itaboraí. O Polo GasLub faz parte do planejamento estratégico da Petrobras e terá a integração dos principais ativos do estado do Rio de Janeiro. Hoje, começa um cenário promissor para atração de novas indústrias da cadeia produtiva do setor – falou o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna.

Cessão de áreas

O Governo do Estado do Rio de Janeiro assinou, em setembro de 2021, um protocolo de intenções com a Petrobras para a cessão de áreas do Polo GasLub, que equivalem a 4.167 campos de futebol. O objetivo é explorar o potencial da infraestrutura do local para atrair grandes indústrias e viabilizar a retomada econômica no setor de Óleo e Gás no estado.

Artigo anteriorDecreto dá início a ano legislativo redes pública e privada de Araruama
Próximo artigoAraruama e Rio das Ostras fecharam 2021 com maior geração de emprego entre municípios da região