Caixa de Casimiro de Abreu está cheio. Mas cadê as obras, prefeito?

Repasses constitucionais foram somaram cinco vezes mais que o total do mesmo mês em 2021

O prefeito de Casimiro de Abreu, Ramon Dias Gidalte, definitivamente não pode alegar falta de dinheiro para justificar a inércia de sua gestão, porque de recursos financeiros – a julgar pelos números do Demonstrativo de Distribuição da Arrecadação, ferramenta do Sistema de Informações Banco do Brasil (SISBB) -, as contas bancárias da Prefeitura do município que tem cerca de 45 mil habitantes, estão cheias, faltando apenas, de acordo com o que reclama por lá, “uma boa administração para as coisas começarem acontecer”.

Segundo o SISBB, os repasses constitucionais feitos ao município em janeiro deste ano foram mais de cinco vezes superiores ao recebido no mesmo mês em 2021, quando a Prefeitura recebeu R$ 11.333.858,50, sendo R$ 5.371.623,82 de royalties pagos pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). Mostra o sistema que os repasses de janeiro de 2022 somaram R$ 58.929.309,27, R$ 51.952.065,79 só de royalties.

Conforme o Portal costadosolnews.com.br já revelou, em 2021 os repasses constitucionais superaram em R$ 62,4 milhões as transferências recebidas em 2020, último ano da gestão do prefeito Paulo Dames. No ano passado os repasses somaram R$ 184,7 milhões, enquanto no ano anterior a soma foi de R$ 122,3 milhões.

*O espaço está aberto para manifestação da Prefeitura de Casimiro de Abreu.

Artigo anteriorVereador cobra fim de imensas filas no CRAS de Casimiro de Abreu
Próximo artigoProcon autua postos de gasolina em Araruama e Cabo Frio