Estado tem média de 12 roubos de cargas por dia, segundo Firjan

0
5

Uma média de roubos de 12 por dia e 1.896 ocorrências desse delito de janeiro a maio de 2021. Os dados são da Firjan, cujo levantamento apontou que o Estado do Rio perdeu neste período R$ 153 milhões, considerando o valor médio de carga roubado.

“É importante ressaltar que o roubo de carga no estado é altamente concentrado. Por isso, além das ações já implementadas para o combate a esse tipo de crime, é fundamental que a atuação integrada das forças de segurança seja intensificada e que as áreas com os maiores números de ocorrências estejam no foco das políticas de segurança pública”, destaca Carlos Erane de Aguiar, presidente do Conselho Empresarial de Defesa e Segurança da Firjan.

O “Panorama do roubo de carga no estado do Rio de Janeiro – 2021” aponta que nos cinco primeiros meses do ano 98% dos casos de roubo de carga registrados no estado foram na Região Metropolitana. Dez das 137 Circunscrições Integradas de Segurança Pública (CISPs) fluminenses concentraram mais da metade das ocorrências e são cortadas pelas principais rodovias do estado: BR 040 – Rodovia Washington Luís, BR 101 – Avenida Brasil, BR 101 – Rodovia Niterói-Manilha, BR 116 – Rodovia Presidente Dutra e BR 493 – Arco Metropolitano.

A Firjan também ressalta que, enquanto o estado teve redução de 12% do número de roubo de carga nos cinco primeiros meses de 2021, as 11 CISPs cortadas pelo Arco Metropolitano apresentaram aumento de 20% na comparação com o mesmo período de 2020. Área de Duque de Caxias, onde há o entroncamento do Arco Metropolitano com a BR 040, teve aumento de 66% no número de ocorrências, sendo a área de maior concentração de roubo de carga no estado. Por isso, a Firjan, em parceria com outras instituições, vem desenvolvendo o projeto “Arco Seguro”, uma parceria público-privada com o objetivo de contribuir com ações de combate a esse tipo de crime na rodovia e seus arredores.

No estudo, a Firjan destaca que áreas da Pavuna, Ricardo Albuquerque e Bangu, na capital, não estão mais entre as dez de maior concentração de roubo de carga no estado, após redução das ocorrências em 42,5%, 44% e 36,4%, respectivamente.