Governador inaugura Mirante da Prainha em Arraial do Cabo

Arraial do Cabo ganhou nesta quarta-feira mais um ponto turístico. É o que se constata após a inauguração do Mirante da Prainha, realizada pelo governador Cláudio Castro, nesta quarta-feira, dia 23.

O Mirante da Prainha é fruto de parceria entre os governos municipal e estadual. Mede 40 metros e sua construção foi iniciada no ano passado

A obra é um complemento urbanístico ao trabalho de contenção da encosta feito pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ) e conta com iluminação, deque de madeira, canteiros de plantas e flores, vagas de estacionamento para idosos e deficientes físicos, além de uma vista para o azul paradisíaco da Prainha.
A obra de contenção, estrutura de concreto armado (mirante) e recomposição de pavimento custou cerca de R$ 5,4 milhões.– Estou muito feliz de ter inaugurado essa obra importante. Arraial é uma das cidades mais lindas do nosso estado, e com certeza esse mirante vai contribuir ainda mais para o turismo e para a economia da região – ressaltou Cláudio Castro.Durante o evento de inauguração, o governador assinou ainda termo de cooperação técnica para urbanizar todo o distrito de Monte Alto, uma demanda antiga e aguardada pela população. O processo de licitação para a obra deve ocorrer em 90 dias. É o maior investimento já feito pelo Governo do Estado em Arraial do Cabo.

Tecnologia será testada na ETE de Arraial

O governador Cláudio Castro lançou, ainda na tarde de hoje, em Arraial, um estudo para geração de energia a partir do lodo doméstico resultante do tratamento de esgoto. A tecnologia inovadora e sustentável passará a ser aplicada na Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) de Arraial do Cabo, que contará com uma Unidade de Tratamento de Resíduos (UTR) capaz de transformar o lodo resultante do tratamento do esgoto doméstico, material que geralmente é descartado em aterro sanitário, em uma substância que pode ser tratada e reutilizada como gás biocombustível. Também pode ser transformado em carvão vegetal usado na agricultura para recuperar solos degradados.Os testes acontecerão na unidade operacional da Prolagos, financiada pela Águas do Rio e Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, em parceria com Agenersa, Universidade Federal Fluminense (UFF) e Prefeitura de Arraial do Cabo. A unidade terá capacidade para tratar duas toneladas de lodo por dia, e o projeto terá duração de três anos.

Artigo anteriorSecretario de Obras pede asfalto para ruas de Casimiro em reuniu com concessionária que explora pedágio na BR-101
Próximo artigoPolicia prende em Silva Jardim receptador de peças de carro de luxo roubado