Inelegível até 2027,Riverton Mussi, ex-prefeito de Macaé acumula quase 500 processos judiciais

Às voltas com cerca de 500 processos judiciais, o ex-prefeito de Macaé, Riverton Mussi (foto), não poderá se candidatar a qualquer cargo eletivo até 2027. A longa lista de Ações Civis engloba ações civisi por Improbidade administrativa, Enriquecimento Ilícito, Crime de Resonsabilidade, Nomeação de Funcionário Fantasma, Nepotismo, Contratações Ilegais, Fraudes em Licitação, Fraude em Merenda Escolar, Lesão e Dano ao Erário, Fracionamento Ilegal de Licitações e Aluguel de Imóvel de Vereador, dentre outras. outras.

São 466 processos, segundo levantamento do TCE e do TJ: 257 no TJ, entre processos cíveis, de fazenda pública, dívida ativa municipal e estadual. Já no TCE, o ex-prefeito responde ou responde por 209 processos por irregularidades cometidas nas suas gestões.

Somente de multas e condenações nos dois tribunais, Riverton acumula uma Dívida Ativa com o Estado no valor de R$ 2.809.244,04 (dois milhões e oitocentos e nove mil e duzentos e quarenta e quatro reais e quatro centavos).

Derrotado em todas as instâncias, Riverton insiste em não sair da cena política. Foi assim em 2020, quando tentou voltar à prefeitura, e em 2016, quando disputou o cargo de vereador. Em ambos os pleitos as candidaturas foram impugnadas. De nada valeu tentar lançar sua irmã, Carla Mussi, como vereadora, já que ela não se elegeu.

Para piorar a situação, o ex-prefeito foi pego na lei da Ficha Suja, na qual, mais uma vez, foi condenado em 2014 e 2018. O gancho pode extrapolar 2027, caso a Justiça o enquadre na Lei Complementar 64/90 em seu artigo I, por “atos dolosos que causam lesao ao erário”.

Artigo anteriorMPF move ação contra cobrança irregular para acesso ao Complexo da Marina dos Pescadores, em Arraial do Cabo
Próximo artigoProjeto de lei inclui portadores de fibromialgia em atendimento prioritário