Sellix rodape

JÁ PASSOU O TEMPO

Por Cezar Guedes em 01/05/2020 às 22:18:22

O governador Wilson Witzel anunciou no dia 7 de abril que Casimiro de Abreu teria um hospital de campanha para atender os infectados do novo Coronavírus da região. A unidade, prevista para funcionar às margens da RJ-106, no distrito de Barra de São João, com capacidade para 100 leitos, estava prevista para funcionar no dia 30 do mês passado. As obras se arrastam e não há previsão dada pelo estado de quando serão concluídas.

Desculpas para isso não faltam. Nenhuma delas porém esconde a desconfiança que pesa na contratação sem licitação do Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (IABAS), Organização Social responsável pela montagem das nove unidades do estado, incluindo a de Casimiro de Abreu.

A OS foi proibida de contratar com a prefeitura do Rio. Por conta disso, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) determinou que a Secretaria Estadual de Saúde modifique o astronômico contrato, de R$ 835 milhões. "Todos os contratos passam por auditoria para identificar qualquer irregularidade. Medidas serão tomadas ao fim do processo e de acordo com a recomendação dos órgãos competentes de forma que o atendimento à população não seja prejudicado", informou a Secretaria por meio de uma nota oficial.

O que estava previsto para 1 de maio, agora não tem data prevista. A crença é que três unidades fiquem prontas até 11 de maio. A unidade de Barra não será uma delas.

Por outro lado, não se ouve ou se vê por parte do governo de Casimiro de Abreu qualquer alternativa ao Hospital de Barra. Ao contrário de Cabo Frio que cortou gastos, inclusive exonerando servidores comissionados, o Município, pelo contrário, se gaba de ter feito o pagamento de abril no dia 30. Isso é obrigação, mas entre os pagamentos estão o de milhares de servidores comissionados (sem concurso público).

Para piorar, em abril, o prefeito Paulo Dames contratou mas quatro comissionados nas secretarias de Agricultura, Assistência Social e Saúde.

Mais há outros fatos despercebidos. Desde que a pandemia estourou, o vereador Adriano Lima protocolou pedido para que a frota de carros da Câmara, que fique à disposição dos parlamentares, fosse disponibilizada para os serviços de Saúde. Nada foi feito a respeito.

Como o Coronavírus não liga para prazos, entraves burocráticos ou indícios de corrupção, o número de casos da doença cresce gradativamente na região. Em Araruama são 45 casos confirmados e um óbito; Cabo Frio, 28 casos e três óbitos; Rio das Ostras: 57 casos e sete óbitos. Saquarema: 22 casos e um óbito; São Pedro D'Aldeia: 18 casos e dois óbitos; Iguaba Grande: 15 casos e quatro óbitos; Arraial do Cabo: cinco casos confirmados e um óbito; Búzios: 11 casos confirmados e nenhum óbito; Casimiro de Abreu: 23 casos e nenhuma óbito e Silva Jardim: oito casos e um óbito.

Lapec

Comentários

Otica lider