Pesquisa aponta indefinição no cenário político do estado

General Mourão, Eduardo Pães, Marcelo Freixo, governador Cláudio Castro, Rodrigo Neves… Esses poderão ser os candidatos concorrentes nas próximas eleições para governador do estado. Mas se o pleito de outubro fosse hoje, todos perderiam para votos brancos, nulos e eleitores indecisos.

É o que aponta recente pesquisa do Instituto Gerp, publicada nesta semana. Em meio à pandemia de Covid, os 1.200 entrevistados fluminenses mostraram pouco interesse sobre o pleito de outubro de 2022.

Tanto que 76% responderam que “não têm conversado sobre eleições com amigos ou parentes”; 24% disseram que conversam. Da mesma forma, poucos foram que apontaram um candidato específico quando perguntados espontaneamente: 2% (Freixo); 2% (Castro); 1% (Mourão); 1% (Neves); 1% (Paes) e outros candidatos, 35%.

Em um cenário sem Mourão e Eduardo Paes, Marcelo Freixo pula na frente com 17%, seguido do ex-prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (12%); Cláudio Castro (11%; Renata Souza (3%), Felipe Santa Cruz (2%) e Paulo Ganine (1%). No entanto, 33% dos candidatos disseram que não votariam em “nenhum deles”; 18% não sabem/não responderam e 3% responderam “qualquer um”.

Quando os pesquisadores apresentaram todos os candidatos, o equilíbrio mostrou-se evidente: Mourão (19%); Eduardo Paes (16%); Marcelo Freixo (14%); Rodrigo Neves (9%); Castro (7%); Felipe Santa Cruz (2%); Renata Souza (2%) e Ganine (1%). Todos os três primeiros colocados perdem para a soma de votos daqueles que disseram não votar em nenhum deles e não sabem ou não responderam, respectivamente 21% e 9%. A pesquisa também procurou saber quem seria o mais rejeitado. 25% vão em Freixo; 24% (Mourão); 20% (Paes); Castro (15%); Santa Cruz (12%); Neves (10%); Ganine (8%). Não votariam em nenhum candidato, 20% e não sabem, não opinaram, 11%.

Artigo anteriorMP dá prazo de 10 dias ao prefeito de Casimiro de Abreu para exonerar irmãos e cunhada de vereador
Próximo artigoLewandowski suspende eleição de Itatiaia, mas Dudu Guedes não toma posse